Translate

27/08/2017

Justiça Injusta

Justiça Injusta
Vivemos em um país onde as leis favorecem o que é errado, dificultam o que é certo e são feitas pelos primeiros a errar.
Não situação atual do país, diversos chefes de família se esforçam para fazer o que podem para garantir o sustento de suas famílias. Muitas vezes, nem todo esse esforço é o suficiente para eles garantirem uma vida digna e acabam passando por muitas privações, mas continuam a lutar de cabeça erguida na espera por dias melhores.
Por outro lado, existem indivíduos, que ainda são considerados seres humanos, segundo os defensores dos direitos humanos, que matam, roubam, violentam, etc., justamente esses chefes de família que lutam dia a dia. Quando dão a sorte de serem presos, passam a receber alimentação melhor que muitos desses chefes de família, se vestem, consomem energia elétrica e água encanada sem terem que pagar por nada, enquanto um chefe de família honesto se não pagar fica sem. Além disso tudo, enquanto estão presos, suas famílias recebem um auxílio do governo maior do que um chefe de família honesto consegue ganhar durante um mês todo de trabalho árduo e esforço.
Comparando essas duas realidades, nós só podemos concluir que as leis de nosso país foram criadas e são atualizadas para fomentar a criminalidade. O que deveria ser justo se torna injusto. Ao ponto que se acontece a fatalidade de um policial abater um criminoso no exercício de seu dever, ele é criticado, mas se ele é executado friamente por um criminoso, nada se fala.
Mas, com a corrupção que está sendo exposta atualmente, podemos compreender o motivo de nossas leis não refletirem a justiça real. Quem as cria e atualiza visa apenas serem beneficiados por elas. Aliás, atualmente as matérias que tem a aprovação mais rápida são as que beneficiam os próprios políticos.
Portanto, como podemos exigir justiça em um país onde as próprias leis favorecem o que é errado? Como respeitar uma ordem social onde os que deveriam ser os primeiros a dar o exemplo são os primeiros a errar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário