Translate

Mostrando postagens com marcador business. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador business. Mostrar todas as postagens

16/04/2017

Consciência de Onde Estamos

Consciencia de Onde Estamos
Conhecer o mercado nos ajuda a encontrar melhores caminhos.
Quando estamos em um mercado para oferecer uma solução, seja produto ou serviço, temos várias opções de caminhos para trilhar e vender nossa proposta. No entanto, muitas vezes, esses caminhos não nos levam a lugar nenhum e perdemos o nosso tempo.
Antes de iniciar um caminho é importante planejar a rota, mas, para isso, devemos conhecer as estradas por onde vamos passar. No mercado isso não é diferente.
O mercado nos abre a cada dia novas possibilidades de explorarmos nossas capacidades. O que precisamos é antes analisar quais possibilidades são as certas para nós aproveitarmos. Para isso, precisamos conhecer o mercado onde estamos inseridos e não somente esperar que ele traga oportunidades até nós.

09/04/2017

Vencendo Antes das Batalhas


Vencendo Antes das Batalhas
Conhecer o concorrente amplia as chances de vitória.
Na competição que há no mercado, são comuns os embates entre adversários. Mas, deixar que isso se desenrole no calor das "batalhas" pode ser ineficaz.
Com a facilidade de acesso que temos hoje à informação, fica fácil sabermos com quem estamos concorrendo. Partindo disso, temos que explorar os fatores que nos diferenciam - em que somos melhores e em que não somos.
Conhecendo nossos concorrentes e suas diferenças em relação a nós nos possibilita criar melhores maneiras de competir. Explorando esse conhecimento, podemos aproveitar melhor as vantagens que temos e desenvolver soluções que nos levem a superar aquilo que nos é desvantagem.

02/04/2017

Por que assumir um negócio?

Por que assumir um negocio
A obrigação e a paixão têm definido caminhos nos negócios familiares.
Nos últimos anos temos visto um aumento expressivo na mortalidade de empresas familiares. Um fator crítico que tem gerado isso é o momento da transmissão de gestão.
Existem dois tipos de sucessores: os que começam a se interessar por negócios porque terão que assumir os negócios dos pais e os que gostam de negócios e assumem os negócios dos pais para exercer suas paixões. Nesses dois perfis é que está a chave para uma transição de sucesso e na perpetuidade de um negócio familiar.
Geralmente, os empresários que assumem os negócios dos pais por obrigação se firmam na segurança de que terão a mesma sorte dos pais. Muitos não se preparam adequadamente para assumir as responsabilidades de seus negócios. Nos momentos de impasse, acabam se firmando na experiência de funcionários antigos e se vêem totalmente perdidos quando surge a possibilidade de perderem tais colaboradores - às vezes se tornam reféns dos mesmos.
Por outro lado, empresários que têm paixão por negócios vêem nos negócios de seus pais a possibilidade de viverem suas paixões. Esses gestores geralmente se preparam bastante e começam a trabalhar com os pais mesmo antes de receber os bastões dos mesmos para tocar os negócios. Vivem se aprimorando para estarem preparados quando situações novas surgirem. Nesse movimento, estão sempre capacitando seus colaboradores para terem sempre opções para montarem suas equipes.
Nesse ponto, é fácil enxergar qual perfil leva ao sucesso e qual leva ao fracasso. Portanto, para um negócio familiar ir à frente, a sucessão deve ser mais uma questão de paixão do que de obrigação.

26/03/2017

Quanto Custa a Imagem?

Quanto Custa a Imagem
O status tem tido grande peso nas escolhas.
No momento de fazer uma compra, escolher um produto ou contratar um serviço, o que levamos em conta? Quantos nos últimos tempos têm levado em conta a imagem que a empresa transmite?
As organizações têm se esforçado muito em reforçar as suas imagens além de seus produtos. Muitos esforços com responsabilidade social, preservação do meio ambiente, educação, entre outras iniciativas. O que tem se visto é um movimento dos produtos oferecidos herdarem a imagem das grandes empresas em vez das empresas constituírem suas imagens através de seus produtos.
O que tem acontecido em momentos de maior poder aquisitivo é as pessoas ignorarem fatores como preço e qualidade pelo simples status de estarem consumindo um produto de uma determinada empresa. Isso faz com que as empresas acabem se acomodando e diminuindo seus esforços para redução de custos e aumento da qualidade, pois suas imagens têm ganho a capacidade de empurrar nos consumidores qualquer coisa. Com o tempo isso pode gerar uma atrofia que leve que leve à redução do ritmo de desenvolvimento de novas tecnologias.

19/03/2017

Liderança Perdida

Liderança Perdida
Mais propósitos e menos intervenção.
A gestão moderna tem seus fundamentos baseados nas instituições militares religiosas do passado. Nessas instituições, o que é peculiar é a maneira de gerir seus recursos humanos.
Em instituições onde um ideal ou propósito é compartilhado entre seus membros, é papel das lideranças conduzirem seus seguidores. Isso se dá através da ligação entre os membros e o exemplo do líder.
Quando os sistemas de gestão foram idealizados, observou-se só as estruturas e a essência dos modelos, a liderança por propósitos, parece que foi deixada de lado. Com isso, foi necessária a criação de verdadeiros "remendos" nas estruturas de gestão que hoje chamamos de "Setores de RH".
Em um sistema de gestão de pessoas autêntico, movido por propósitos, cabe ao líder transmitir os valores e os propósitos para suas equipes. Isso moveria as equipes a se manterem focadas em seus objetivos e teriam sempre o líder como um referencial - o que tornaria desnecessária qualquer intervenção externa na gestão das mesmas.

05/03/2017

Resultados Virtuais

Resultados Virtuais
O importante é enxergar o todo o tempo todo.
Muitas organizações comemoram, de tempos em tempos, bons resultados apurados em seus relatórios periódicos. No entanto, algumas dessas amargam prejuízos ou até fecham no longo prazo, mesmo em momentos sem crise.
Nas apurações, alguns compromissos de longo prazo são omitidos, o que pode ocultar o verdadeiro horizonte da empresa. Uma calmaria que pode antever um verdadeiro tsunami mais para frente.
Isso acontece porque a preocupação maior é despendida na lucratividade e na rentabilidade. Fatores como liquidez e alavancagem, que podem definir a continuação de uma organização, são deixados de lado. Todos esses fatores, no longo prazo, combinados podem decretar o fim de uma empresa.
O importante então, seria dividir o foco entre a obtenção de resultados e a manutenção da existência. Melhor ainda, colocar os fatores em função uns dos outros - a geração de resultados para garantir a permanência da empresa e manter a empresa viva para gerar resultados no futuro.

19/02/2017

Fluxo de Caixa - O Termômetro

Fluxo de Caixa
Desequilíbrios podem ser evitados com o uso das ferramentas certas.
É comum nas organizações a busca constante por soluções para desequilíbrios em suas finanças. A perda de tempo com essas atividades poderia ser minimizada se fosse dada atenção a indicações desses desequilíbrios antes deles acontecerem. Ferramenta útil para essa prevenção é o Fluxo de Caixa.
A relação e a constância entre fluxos de recebimento de recursos e de pagamentos de obrigações podem revelar desencontros e acertos em diversas áreas da empresa. Isso se torna ainda mais explícito quando há desencontros entre esses fluxos - pagamentos vencendo antes de recebimentos.
Isso pode revelar insuficiência da política comercial da empresa. No momento da venda, podem estar sendo oferecidas facilidades desnecessárias para os clientes e que estão em desacordo com a capacidade produtiva da empresa.
Ainda pode se chagar à conclusão de que a produtividade e eficiência da empresa estão fora do esperado pelo cliente e as entregas não estão sendo feitas em tempo hábil para os recebimentos se adequarem aos pagamentos.
Por tanto, a simples atenção ao Fluxo de Caixa pode nos dar diversos insights sobre o que ocorre na empresa. Por isso ele tem se tornado uma ferramenta essencial para manter o equilíbrio das organizações e um link importante entre os resultados de suas diversas áreas.

01/01/2017

Interfaces Empresariais (Pt. II)

InterfacesPt2
A efetividade da estrutura vem das relações.
Para termos uma compreensão melhor das relações, é importante compreender a função de cada tipo de setor:
  • Setores de atividade são aqueles que mantêm a empresa sempre ativa. Estão sempre em movimento e realizam a razão de ser da empresa. Podem ser divididos em primários (ex. comercial, produção), pois geram e entregam as vendas da empresa, e secundários (ex. compras, logística) pois dão suporte aos primários.
  • Setores de manutenção são aqueles que fazem a empresa ser conhecida nos mercados em que atua e fazem a manutenção de suas relações tanto externamente (ex. marketing) quanto internamente (ex. gestão de recursos humanos).
  • Setores de controle são aqueles que geram as demandas da empresa, determinam seus limites e medem seus resultados - medem e apontam o que está dando certo e o que pode ser melhorado (ex. financeiro e clientes).
A efetividade desses setores se dá nas suas interfaces. Os setores de atividade fazem interface entre si - isso os fazem focados no cumprimento de suas tarefas. Os setores de manutenção fazem interface com os setores internos e com o exterior com o objetivo de manter a harmonia nas relações da empresa. Os setores de controle fazem interface com todos os setores para garantir que suas orientações sejam compreendidas e para conseguir monitorar os resultados com precisão.
Todas essas relações é que permitem que a empresa se mantenha viva - como as entre os órgãos de um corpo. A harmonia entre elas é que determina o quanto a empresa está indo bem, aonde ela pode chegar e o quanto ela ainda precisa fazer. É bom estar sempre atento às Interfaces.

25/12/2016

Interfaces Empresariais (Pt. I)

InterfacesPt1
O que rege o bom funcionamento são as relações.
De acordo com a vivência que tive, pude observar que o que rege o bom funcionamento de uma organização são as suas relações - as interfaces empresariais. Isso se dá a partir de seus setores e suas relações entre si e com o exterior.
Analisando a estrutura de uma empresa, podemos observar que ela é sempre projetada para se manter em funcionamento (atividade), ser controlada (controle) e ser conhecida (manutenção). Baseado nisso, podemos dividir essa estrutura em setores de atividade (primários e secundários), setores de controle (internos e externos) e setores de manutenção.